livroseflores@outlook.com.br Image Map

Resenha: Quando Finalmente Voltará a Ser Como Nunca Foi



Isso é normal? Crescer entre centenas de pessoas com deficiência física e mental, como o filho mais novo do diretor de um hospital psiquiátrico para crianças e jovens? Nosso pequeno herói não conhece outra realidade - e até gosta muito da que conhece. O pai dirige uma instituição com mais de 1.200 pacientes, ausenta-se dentro da própria casa quando se senta em sua poltrona para ler. A mãe organiza o dia a dia, mas se queixa de seu papel. Os irmãos se dedicam com afinco a seus hobbies, mas para ele só reservam maldades. E ele próprio tem dificuldade com as letras e sempre é tomado por uma grande ira. Sente-se feliz quando cavalga pelo terreno da instituição sobre os ombros de um interno gigantesco, tocador de sinos. Joachim Meyerhoff narra com afeto e graça a vida de uma família extraordinária em um lugar igualmente extraordinário. E a de um pai que, na teoria, é brilhante, mas falha na prática. Afinal, quem mais conseguiria, depois de se propor a intensificar a prática de exercícios físicos ao completar 40 anos, distender um ligamento e nunca mais tornar a calçar o caro par de tênis? Ou então, em meio à calmaria, ver-se em perigo no mar e ainda por cima derrubar o filho na água? O núcleo incandescente do romance é composto pela morte, pela perda do que já não pode ser recuperado, pela saudade que fica - e pela lembrança que, por sorte, produz histórias inconcebivelmente plenas, vivas e engraçadas.

Não sei por que, mas livros com títulos grandes acabam me interessando mais do que o normal e assim que li a sinopse desse livro precisei muito lê-lo. Não conhecia o autor, mas quero muito que sejam lançados outros livros dele, pois amei a forma como ele escreve. =D

"Quando Finalmente Voltará a Ser Como Nunca Foi" é narrado em primeira pessoa e traz a história do Joachim, o filho caçula de um diretor de uma instituição psiquiátrica, o Hospital “Hesterberg”, em Schleswig-Holstein. Eles moravam na casa do diretor, que fica no meio do terreno da instituição e é rodeada pelos prédios da instituição que eram nomeados com as letras de A até G, sendo que cada andar recebia seu próprio nome, como A-inferior, o térreo; C-médio, o primeiro andar; e J-superior, o segundo andar. Quanto mais alto o paciente fica, mais grave o caso, então os pacientes dos andares superiores são os mais perigosos.

Joachim conta que quando estava aprendendo a ler sempre que falavam as letras que estava familiarizado, ele questionava se era superior, médio ou inferior e isso importava demais, porque caso a palavra tratasse de algo inofensivo, era escrito com a letra lá em baixo e se fosse o contrário, com a letra bem alta.

Assim, nesse livro vamos acompanhando a história do Joachim, seus descobrimentos, aventuras, sofrimentos, desilusões, crescimento, etc. Aqui vemos como o sofrimento, a alegria, a indecisão, nossas imperfeições e toda situação, independente da importância que damos a ela no momento, pode influenciar muito nossa vida. 


Somos confrontados com a loucura nas mais diversas formas e sob um ponto de vista único, afinal os loucos fazem parte da vida do Joachim.

A família é composta por cinco membros, mãe, pai, irmão mais velho, irmão do meio e o Joachim. Também são destacados alguns dos internos da instituição e cada um dos personagens possui sua razão de estarem em foco, afinal alteraram de uma forma ou de outra a vida do nosso narrador.


A forma como Meyerhoff conta a história é tão fluida e envolvente e a cada página que avançava desejava que outra surgisse no final do livro para que ele nunca acabasse. A divisão dos capítulos, o nome dos capítulos, cada pequeno detalhe, na verdade tudo nesse livro é maravilhoso.

A tradução está muito boa, porque em diversos momentos em que foi impossível aportuguesar expressões ou situações, a Karina Jannini colocou notas que ajudaram muito mesmo na compreensão geral da história.

E o que falar dessa edição da Valentina?? Tudo foi pensado para encaixar perfeitamente na ideia do autor e deu para perceber o cuidado que tiveram na diagramação do livro. Amei! <3

Mas afinal, a loucura está do lado de dentro ou de fora?

Maravilhoso e super recomendo!!!