livroseflores@outlook.com.br Image Map

Resenha: Filha da Floresta - Juliet Marillier





O domínio de Sevenwaters é um lugar remoto, estranho, guardado e preservado por homens silenciosos e criaturas encantadas, além dos sábios druidas, que deslizam pelos bosques vestidos com seus longos mantos... Passada no crepúsculo celta da velha Irlanda, quando o mito era lei e a magia uma força da natureza, esta é a história de Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho, o soturno Lorde Colum, e dos seus seis amados irmãos, vítimas de uma terrível maldição que somente Sorcha é capaz de quebrar. Em sua difícil tarefa, imposta pelos Seres da Floresta, a jovem se vê dividida entre o dever, que significa a quebra do encantamento que aprisiona seus irmãos, e um amor cada vez mais forte, e proibido, pelo guerreiro que lhe prometeu proteção.

"Filha da Floresta" foi escrito por Juliet Marillier, traduzido por Yma Vick e publicado no Brasil em 2012 pela Butterfly Editora. A obra possui 608 páginas divididas em dezesseis capítulos.

A primeira coisa que me chamou atenção na obra foi o fato da autora ser da Nova Zelândia. Morei lá em 2012 e me apaixonei pelo país! Desde então, tudo que vem da terra dos kiwis me deixa muito interessada.

Depois disso, veio o enredo. Achei a premissa sensacional! O domínio de Sevenwaters é um lugar remoto, estranho, guardado e preservado por homens silenciosos e criaturas encantadas, além dos sábios druidas, que deslizam pelos bosques vestidos com seus longos mantos... 

Passada no crepúsculo celta da velha Irlanda, quando o mito era lei e a magia uma força da natureza, esta é a história de Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho, o soturno Lorde Colum, e dos seus seis amados irmãos, vítimas de uma terrível maldição que somente Sorcha é capaz de quebrar. 

Em sua difícil tarefa, imposta pelos Seres da Floresta, a jovem se vê dividida entre o dever, que significa a quebra do encantamento que aprisiona seus irmãos, e um amor cada vez mais forte, e proibido, pelo guerreiro que lhe prometeu proteção.

Em terceiro lugar, a pitada de mitologia celta foi mais um motivo gritante para que eu lesse a obra. Sempre fui muito fã de mitologia, mas confesso que não sei muita coisa sobre as lendas celtas e aprendi muita coisa com "Filha da Floresta".

O livro tem um ar místico, meio que de contos de fadas e isso enriqueceu muito a leitura apesar dos capítulos iniciais serem bem mornos.

A história fica boa e frenética após a página 100. Todavia, creio que esse início mais lento é essencial para absorção dos detalhes que posteriormente serão explorados e explanados.

Enfim, indico o livro a todos que adoram um livro com leitura rápida. Não deixem se intimidar pelo número de páginas. A leitura é incrível, garanto!