livroseflores@outlook.com.br Image Map

O despertar do príncipe - Colleen Houck


O DESPERTAR DO PRÍNCIPE
Autora:
Colleen Houck
ISBN: 9788580414363
Ano: 2015
Páginas: 384
Editora: Editora Arqueiro
Sinopse: Aos 17 anos, Lilliana Young tem uma vida aparentemente invejável. Ela mora em um luxuoso hotel de Nova York com os pais ricos e bem-sucedidos, só usa roupas de grife, recebe uma generosa mesada e tem liberdade para explorar a cidade. Mas para isso ela precisa seguir algumas regras: só tirar notas altas no colégio, apresentar-se adequadamente nas festas com os pais e fazer amizade apenas com quem eles aprovarem. Um dia, na seção egípcia do Metropolitan Museum of Art, Lily está pensando numa maneira de convencer os pais a deixá-la escolher a própria carreira, quando uma figura espantosa cruza o seu caminho: uma múmia — na verdade, um príncipe egípcio com poderes divinos que acaba de despertar de um sono de mil anos. A partir daí, a vida solitária e super-regrada de Lily sofre uma reviravolta. Uma força irresistível a leva a seguir o príncipe Amon até o lendário Vale dos Reis, no Egito, em busca dos outros dois irmãos adormecidos, numa luta contra o tempo para realizar a cerimônia que é a última esperança para salvar a humanidade do maligno deus Seth. Em O despertar do príncipe, Colleen Houck apresenta uma narrativa inteligente, cheia de humor e ironia.

"O Despertar do Príncipe" foi escrito por Collen Houck, traduzido por Fernanda Abreu e publicado no Brasil em 2015 pela Editora Arqueiro. A obra possui 384 páginas e é dividida em três partes. Este livro é o primeiro volume da série "Deuses do Egito" e é narrado em primeira pessoa pela jovem Liliana Young.

A diagramação está amigável. Conta com páginas amarelas, bom espaçamento e letras de ótimo tamanho. Além disso, as folhas que indicam o início de uma nova parte da estória são enfeitadas. Ficou tudo muito lindo! Sem contar a capa, que é ma-ra-vi-lho-sa e tem tudo a ver com a estória.



No livro conhecemos Liliana Young, uma jovem de 17 anos que mora em um luxuoso hotel em Nova York. Filha de pais ricos, a garota tem tudo o que a vida poderia lhe oferecer de melhor. Mas, para isso, Lily tem de seguir algumas regras: só tirar notas altas, portar-se como uma dama, comparecer a festas da alta sociedade e somente fazer amizade com pessoas aprovadas pelos pais.

Diante disso tudo, Lily decidiu ir ao Museum of Art espairecer a mente e tentar encontrar uma maneira de convencer seus pais a deixá-la decidir a própria carreira. Porém, do nada barulhos muitos estranhos surgem e Lily vê uma pessoa cruzando seu caminho. 

O que Liliana não sabe, é que aquela pessoa, na verdade, é uma múmia. Ou melhor, um príncipe egípcio que acorda a cada mil anos para cumprir sua missão e salvar o mundo dos poderes malignos que nos cercam.



Minha experiência com O Despertar do Príncipe foi boa, adorei o humor que Collen Houck inseriu na trama. Dei muitas risadas com a obra! Além disso, a leitura é leve e gostosa. O vocabulário é bem simples, então, isso contribui para que a leitura seja fluída. 

Também não posso deixar de citar a carga cultural ENORME que essa obra contém! Dá pra perceber facilmente o empenho que autora teve em abordar a mitologia egípcia minuciosamente. 

Os personagens são todos bem construídos. Mas, há sempre os queridinhos e os irritantes, não é mesmo? Liliana é a pessoa mais chata do livro. Mimada e encrenqueira, a garota cria situações desnecessárias. Além disso, ela acha que tudo deve girar em torno dela.  Amon, o príncipe egípcio que Lily encontrou no museu é um amor de personagem! De longe o meu favorito.



A obra só não ganhou cinco estrelas, pois encontrei alguns erros de digitação durante a leitura e também porque a ênfase no romance me incomodou, já que esse não é o enfoque do gênero que a obra foi classificada. Além disso, o toque infantil que a narrativa traz também me desanimou em certos momentos.

Recomendo a obra a todos os amantes de mitologia egípcia e da escrita da autora. Também recomendo a quem gosta de livros com diversas teorias, conspirações e aventuras! A obra é realmente cativante, apesar do supracitado, e te deixa querendo mais.





ENCONTRE-ME: