livroseflores@outlook.com.br Image Map

[ESPECIAL HALLOWEEN] Resenha: SE7VEN – OS SETE CRIMES CAPITAIS (Filme)


SE7VEN – OS SETE CRIMES CAPITAIS
Direção: David Fincher
Produção: Arnold Kopelson e Phyllis Carlyle
Ano: 1995
Duração: 127 minutos
Roteiro: Andrew Kevin Walker
Elenco: Brad Pitt, Morgan Freeman, Gwyneth Paltrow, Kevin Spacey, John C. McGinley
Gênero: noir, suspense
Sinopse: Este clássico moderno conseguiu fundir um filme policial, que te prende do começo ao fim, com uma estória impressionante acerca de um serial killer que se baseia nos sete pecados capitais. O homicida acredita ser escolhido para este trabalho, devolvendo para as pessoas os pecados que elas suportam dentro de suas casas de manhã, de tarde e à noite.

O gênero terror é também conhecido como horror. O Dicionário da Língua Portuguesa, Michaelis Moderno, nos traz a seguinte explicação para o termo:

hor.ror: sm (lat horrore) 1 Estremecimento ou agitação causada por coisa espantosa. 2 Aquilo que causa medo. 3 Susto, pavor. 4 Aversão. 5 Coisa repelente. 6 Caráter do que é medonho, sinistro. 7 pop Grande número, quantidade espantosa de coisas. 8 Padecimento insuportável. 9 Crime bárbaro.

O gênero terror não se enquadra apenas nos filmes que trazem fantasmas e possessões, este é um estilo muito mais amplo do se pensa. Tudo aquilo que mexe com os medos rudimentares e busca um comportamento emocional negativo do expectador é considerado gênero de terror ou horror, está intimamente vinculado à ficção especulativa e à fantasia.
            
H.P. Lovecraft, escritor norte-americano do século passado, que ficou conhecido pelas suas obras de terror e fantasia, faz a seguinte citação a respeito do gênero, em O Horror Sobrenatural na Literatura:

"A emoção mais antiga e mais forte da humanidade é o medo, e o mais antigo e mais forte de todos os medos é o medo do desconhecido."


Trouxe esta explicação para esclarecer o porquê de ter escolhido esse filme que é classificado como suspense. Seven está completando 20 anos de lançamento, e apesar das duas décadas de existência, os 127 minutos de filme conseguiu permanecer atual, trazendo aos telespectadores aquilo que muitas vezes habita dentro de nós.


Este clássico moderno traz os sete pecados capitais, que foram solenizados pelo papa Gregório Magnono no século 6. Os principais vícios de conduta são: luxúria, inveja, soberba, gula, preguiça, avareza e a ira. O filme faz referência à escritores consagrados como Dante Alighieri, Shakespeare e São Tomás de Aquino.

A diferença entre os detetives, David Mills (Brad Pitt) e Willian “Smiley”Somerset (Morgan Freeman), é algo perceptível desde o começo, são considerados polos opostos. Uma das diferenças mais perceptíveis é o otimismo para com o mundo, o que acaba mudando com o passar do tempo, influenciado pela investigação do caso de John Doe (Kevin Spacey).
            
Não consegui identificar a cidade em que o longa-metragem foi filmado, em algumas cenas parece ser Nova York e em outras Los Angeles, tive a sensação de que David Fincher quis nos mostrar que o que acontece no filme está em todos os lugares e que não tem para onde fugir. Outra marca do pessimismo que o filme carrega é o fato que na maioria das cenas está chovendo. As cenas finais do filme são de tirar o fôlego e nos mostra tudo aquilo que o diretor quer provar, que o mundo não é um lugar bom.

Trouxe a imagem do filme acima, para que vocês prestem atenção nos risquinhos, principalmente nos dois remanescentes, no final do filme eles farão sentido. Uma dica importantíssima para quem for se aventurar nesse filme: não o assista enquanto estiver comendo, ainda mais comida pesada.



ENCONTRE-ME:
Facebook ♥ Skoob ♥ Instagram