livroseflores@outlook.com.br Image Map

Resenha: Emma - Jane Austen


Ao comentar sobre Emma Woodhouse, Jane Austen brincou com seus leitores ao dizer que Emma é o tipo de "heroína que ninguém além dela própria iria gostar muito". Entretanto, ela é irresistível, a única personagem dos seis livros publicados de Austen cujo próprio nome é também o título do livro. Além disso, Emma possui uma descrição diferenciada das demais heroínas criadas pela autora: é bonita, inteligente e rica. O livro é um ótimo exemplo de sagacidade e ironia, típicos da escritora Jane Austen, e é considerado por muitos como seu romance mais elaborado. A habilidade que a escritora teve ao demonstrar os diversos aspectos da natureza humana de forma bastante realista e afetuosa eleva esta obra a uma sátira brilhante.


"Emma" foi escrito por Jane Austen e a edição que li foi publicada no Brasil pela Editora Martin Claret em 2012. A obra possui 605 páginas. A edição segue o padrão dos outros livros dessa coleção: páginas amareladas, início de capítulo enfeitado com flores e letra cursiva. 


"Emma" conta a história de Emma Woodhouse, uma mulher rica e - aparentemente - esnobe. No fundo, sabe-se que seu sonho é ver os outros felizes, por isso, tem como hobbie ser "casamenteira". Quando Emma percebe que tem o talento para formar novos casais, ela passa a trabalhar de cupido na pequena aldeia inglesa de Hartfield. Emma foca suas atenções em Harriet Smith e, em meio à busca de pretendentes para a amiga, se mete em diversas confusões, sempre resgatada pelo amigo, o cavalheiro sr. Knightley, que não gosta nem um pouco dessa aventura de Emma como casamenteira.

De todos os livros que li da Jane Austen, Razão e Sensibilidade continua sendo meu preferido. Emma, nem de longe, chegou perto de ser tão emocionante para mim como foi a primeira obra escrita pela autora. Não que seja uma obra ruim, nada disso! Mas é que a medida que eu avanço na leitura dos livros escritos por Austen eu espero uma enorme evolução que acaba não aparecendo e me decepcionando.


Mas, novamente, a obra não é ruim. A decepção é causada por minhas altas expectativas. Parece-me que a autora tem uma fórmula pré meditada e isso, as vezes, acaba me deixando exausta durante a leitura e desanimada, pois já sei mais ou menos o rumo que as coisas tomarão.

Senti que muitos acontecimentos não foram pertinentes e não fazem sentido algum na história. Todavia, devo falar da riqueza dos personagens. Nisso Jane Austen não pecou e soube construir personagens interessantíssimos! 


Cada personagem tem suas peculiaridades e personalidade bem definidas. Vale ressaltar também que a estória relata o amadurecimento de Emma. É interessante perceber como essa evolução acontece e como foi conduzida pela autora.

Não posso deixar de citar o traço característico da escrita da autora nessa obra: o sarcasmo. Como sempre, Jane Austen escreveu um livro além de seu tempo e isso é sempre um ponto positivo para mim. Não posso deixar de admitir que a autora tem lá seu brilhantismo.


Enfim, a leitura não foi muito agradável para mim porque mantive as expectativas altas e elas não foram superadas. Além disso, parece que as estórias seguem sempre o mesmo roteiro. Isso é um tanto desgastante. Todavia, não deixei de ressaltar os pontos positivos da obra. Agora, fica a critério do leitor escolher essa leitura e tirar as próprias conclusões.






Esse post faz parte do Projeto Lendo Jane Austen.