livroseflores@outlook.com.br Image Map

Resenha: Neve na Primavera – Sarah Jio


NEVE NA PRIMAVERA
Autora: Sarah Jio
Ano: 2015
Páginas: 336
Editora: Novo Conceito
Sinopse: Neve na Primavera - Seattle, 1933. Vera Ray dá um beijo no pequeno Daniel e, mesmo contrariada, sai para trabalhar. Ela odeia o turno da noite, mas o emprego de camareira no hotel garante o sustento de seu filho. Na manhã seguinte, o dia 2 de maio, uma nevasca desaba sobre a cidade. Vera se apressa para chegar em casa antes de Daniel acordar, mas encontra vazia a cama do menino. O ursinho de pelúcia está jogado na rua, esquecido sobre a neve. Na Seattle do nosso tempo, a repórter Claire Aldridge é despertada por uma tempestade de neve fora de época. O dia é 2 de maio. Designada para escrever sobre esse fenômeno, que acontece pela segunda vez em setenta anos, Claire se interessa pelo caso do desaparecimento de Daniel Ray, que permanece sem solução, e promete a si mesma chegar à verdade. Ela descobrirá, também, que está mais próxima de Vera do que imaginava.

Esse livro foi meu primeiro contato com a escrita da autora e foi bastante agradável, pois não esperava muito da leitura. Romance não é meu gênero favorito, mas gosto de ler um que me chame a atenção entre os que normalmente leio.
Quando li a sinopse me interessei por se tratar de um livro que, além do romance, envolvia mistério e uma busca pela verdade. E posso afirmar que a autora conseguiu escrever uma história bastante envolvente e que me prendeu totalmente, além de o foco principal ser o drama e não o romance. Comecei a ler à noite e só parei quando terminei o livro, 5 horas depois de ter começado (já eram mais de 3 horas da madrugada).
A história é narrada em primeira pessoa por duas personagens, que intercalam os capítulos entre si, Vera Ray, em 1933, e Claire Aldridge, em 2010.
Claire é uma jornalista que trabalha em um importante jornal da cidade de Seattle e foi chamada por seu chefe para cobrir uma anormal tempestade de neve fora de época. Acontecimento esse que havia acontecido quase 80 anos antes e na mesma data, em 1933.
Durante a pesquisa se descobre que na tempestade anterior um garotinho havia desaparecido sem deixar rastros e que, até a presente data, nada mais se sabia sobre o caso.
Vera Ray é uma mãe solteira que batalha para se sustentar e ao filho, Daniel, que estava com 3 anos. Mais uma noite teve que ir trabalhar e deixar o pequeno Daniel sozinho em casa, pois era camareira noturna de um grande hotel. Ao retornar no amanhecer do dia seguinte, não encontrou seu filho em casa e numa busca desesperada quase morre no frio da tempestade.
A partir desse momento os capítulos se intercalam entre a investigação de Claire e a busca desesperada de Vera.
A ideia que a autora teve de intercalar os acontecimentos entre os anos foi fantástica, deu toda uma ação a mais a história, além de manter o clima de mistério e o drama sempre em foco. Não consegui desgrudar do livro até saber o que havia acontecido com Daniel e sua desesperada mãe.
Além de a própria Claire estar passando por seu próprio drama, pois a exato 1 ano havia passado por uma grande perda e seu casamento estava indo por água abaixo, além de não estar mais conseguindo se concentrar no trabalho, até que começa a buscar por respostas sobre o desaparecimento de Daniel, que lhe devolve a alegria de trabalhar.
Além das duas protagonistas, temos personagens secundários que incrementam a história.
A parte que me fez ficar menos feliz com a história foram as muitas coincidências que permearam a história, deixando tudo interligado e dando um ar de “mas isso é impossível”.
Só que não achei que esse detalhe diminuiu o livro, só tirou um pouco de seu brilho, para mim.
E agora pretendo conhecer outras obras da Sarah Jio.
Super recomendo para quem gosta de uma história linda, dramática, com reviravoltas inesperadas e um final emocionante.



ENCONTRE-ME:

Facebook  Skoob  Twitter  Instagram